Camminata solitaria da Monaco di Baviera a Verona 2021 Festeggiando 61 anni di gemellaggio
Dia 07 – Vencendo os desafios a caminho de Merano

Dia 07 – Vencendo os desafios a caminho de Merano

Dia 07 – Vencendo os desafios a caminho de Merano

Hoje saí de “Passo Giovo” , dormi na parte baixa da montanha e fiz um pedacinho do Passo debaixo de um vento muito frio e forte. A parte alta de Passo Giovo é uma montanha que chega a ter mais de 2 mil metros de altura, mesmo assim o vento estava muito gelado, fiquei sem telefone e me retraí por causa da sensação térmica, que conseguiu mexer com o meu humor.

Estou em terras italianas, na comuna de San Leonardo in Passiria, e novamente ouço o sino da cidade tocar, que alegria ouvir os sinos enquanto caminho na companhia  do rio Passiria.

Fiquei bem feliz ao pisar na Itália, claro que ficarei muito mais feliz quando eu conseguir chegar ao Veneto, pois será um aviso que a minha missão terá sido concluída com louvor. Comecei a sentir o cansaço da viagem e todos os seus sinais. Devido ao dia penoso que vivi ontem, sinto meu corpo hoje mais devagar e com o peso dos quilômetros que já percorri ao longo desses 7 dias de viagem.

O som do rio Passiria me relaxa enquanto caminho.

Sinto que o barulhinho que vem das águas soa como algo terapêutico, diante de tanto cansaço, como se o caminho que estou fazendo soubesse que preciso desse alívio mental. Quando olho para trás e vejo os Alpes, penso que tudo é possível, pois ontem eu estive lá, dentro da grandeza das montanhas, e hoje estou aqui enxergando eles de longe.

O contato com a natureza é o que me mantém num ritmo aceitável de caminhada, apesar do vento gelado, prossigo rumo ao meu objetivo de hoje.

Eu não caminho com os pés, eu caminho com a cabeça!

Meus pés não tocam no chão e essa simbiose com a natureza é muito importante. Integrar a essência humana com a essência da natureza é incrível e nos fortalece imensamente. Isso não quer dizer que a jornada não trará marcas, por exemplo, a minha pele do rosto está ardendo muito, assim como meus lábios estão muito ressecados. A neve de ontem queimou o meu rosto, por isso vejo que estou mais devagar hoje, esse é o resultado de quando se está exposta ao ambiente em que o sol está refletindo na neve branca. Além do desgaste físico, sinto que minha cabeça não está em sua total força, me sinto mais fraca e com um ritmo abaixo do esperado.

Estou me sentindo cansada, mas lembrei-me de comer a barrinha energética de guaraná com chocolate que ganhei da Polina. Lembrar desse carinho conforta meu espírito, que recebe, mesmo que de longe, o calor humano, diante desse vento gelado que está congelando o meu nariz e todo o meu corpo.

Do ponto de vista físico, da condição da estrada e do clima, até esse momento a viagem estava mais fácil, se comparado ao dia de ontem, mas, mesmo diante dessa vantagem, sinto minha cabeça fora de órbita, sentei e quase coloquei tudo para fora. Não sei o que é isso, só me sinto extremamente cansada, uma condição que não consigo explicar em palavras. Não sinto tantas dores no corpo, mas a minha cabeça está virada, como se houvesse algo dentro de mim que quisesse sair de toda forma. Tive que parar um pouco e sentar para que a vontade de vomitar diminuísse.. é difícil dizer ao certo o que estou sentindo, pois não consigo explicar..

E nessa tentativa de encontrar um lugar para acalmar o meu espírito e recompor as minhas energias, encontrei mais um sinal milagroso no caminho. Encontrei um local para deitar e descansar, quando olhei para baixo, vi uma bolinha de golf… e nela, incrivelmente, está escrito “power 12”, vejo como um sinal para que eu encontre forças para continuar.

O interessante desse rio que me acompanha é observar o curso que ele faz, ora corre para direita, ora para a esquerda. Me sinto tão conectada com a natureza, que para mim, esse movimento do rio me compreende e me mostra uma outra perspectiva da paisagem, aliviando meu cansaço e mudando a minha forma de enxergá-lo.

Você já ouviu a frase “Só acaba quando termina”? Pois é, hoje vivi o exemplo perfeito disso! Melhor mesmo é não cantar vitória antes da conclusão de um projeto. Quase no final da viagem, me deparei com a pista para ciclistas e pedestres completamente fechada. 

Vejo que preciso voltar todo o caminho que percorri com muita dificuldade e cansaço. A pista foi fechada no dia 1 de abril e agora preciso voltar 10 longos quilômetros. Pelo menos, durante esse trajeto, encontrei um rapaz que estava naquele percurso e pude compartilhar com ele a minha jornada e conversar um pouco, como é bom ter alguém para compartilhar ideias!

Com o desvio que tive que fazer, encontrei uma área de plantação de maçãs, pois essa é a região Trentino Alto Adige, conhecida por produzir maçãs maravilhosas.

Como são lindas as flores e a forma como elas se desenvolvem! No inverno, essa planta parece que está morta, mas, na verdade, ela passa por um grande processo e agora, com o início da primavera, é possível ver a beleza das suas folhas e flores. É interessante ver esse desenvolvimento de como surgem as flores, como uma abelha pousa na flor. Observar esses detalhes é um exercício que precisamos fazer, na caminhada ou fora dela. 

Esse vírus nos fez parar, mas será que estamos parando para viver ou somente estamos paralisados de medo? O meu convite hoje é para que você comece a viver, observar a natureza e sua evolução como forma de observar e agradecer pelos processos naturais da vida.

Depois das macieiras, percebi que o desvio me levou do lado errado do rio, continuei em frente achando que chegaria em algum lugar. Após as plantações, entrei no mato bruto, pois eu não queria voltar, me desbravei no meio do mato e, antes de sair do meio dele, fiz uma live para compartilhar o que eu estava sentindo naquele momento.

“Mesmo que o medo tenha mais e mais argumentos, escolha a esperança.” (Filósofo Romano Sêneca, 65 d.C)

A flor da esperança.

Hoje tive a prova de quão verdadeira é esta frase …

No decorrer da minha jornada de hoje, tive vários momentos de dificuldade e desde o início coloquei minhas reflexões sobre o conceito do EGO e sobre a nossa capacidade de domá-lo… A primeira parte da minha jornada realmente me levou a pensar em como o EGO pode afetar nossos comportamentos e, às vezes, nos levar a caminhos errados. Na verdade, foi exatamente isso que aconteceu! De repente, percebi que a estrada que eu havia escolhido, perto do rio, depois de tantos quilômetros percorridos, era a errada. Enquanto, diante dos meus olhos, do outro lado do rio, eu podia ver claramente o caminho que me levaria ao meu destino. Estava tão perto, mas tão longe… Me sentia exausta naquele momento e a ideia de voltar parecia instintivamente pior do que os obstáculos que vi na minha frente.

Qual seria o jeito certo?! Meu EGO, entretanto, neste exato momento, me atrasou …. paradoxalmente a ideia de voltar foi a mais favorável para meu EGO porque, aos olhos de quem me segue, sabe que, facilmente, eu teria assumido o papel de uma heroína, que, sem desistir e com espírito de sacrifício, teria percorrido com muita paciência e bravura muitos mais quilômetros para voltar ao caminho certo. Mesmo que isso significasse voltar e começar do zero. Mas aqueles que realmente me conhecem, sabem que eu não voltaria… 

Naquele preciso momento, apesar do desespero e do cansaço, o instinto disse outra coisa, disse que a estrada percorrida, até agora, tinha sido gentil comigo e, apesar de agora ter se tornado hostil e difícil, me permitiu chegar mais perto do meu objetivo.

Neste ponto, porém, meu Ego apontou para mim, que ainda insistia em um caminho tão árduo, que a minha fé poderia desabar em caso de fracasso. Esse não era o momento de pensar em como eu teria parecido aos olhos dos amigos que me seguem?!

Mas eis que, bem no momento de desespero, o medo tinha tantos argumentos para me fazer recuar que o recurso mais forte que temos, dentro de nós, acendeu como uma chama dentro de mim – ESPERANÇA -, ela mesma!

A esperança de superar os obstáculos que tinha pela frente, a esperança de que para além desses obstáculos estaria a ponte ou, de qualquer forma, a confirmação de que aquele caminho escolhido, por mais difícil que fosse, era o certo pelo simples motivo de ser o caminho que eu escolhi livremente. Compreendi que estaria disposta a enfrentar todos os obstáculos, talvez tentando contornar alguns, assumindo os meus riscos, mas, pelo ponto de onde já tinha ido, eu não recuaria…

Isso mesmo: “Mesmo que o medo tenha cada vez mais argumentos, escolha a esperança”. Caro Sêneca, depois de ter alcançado aquela ponte com tantas dificuldades, posso dizer que este também se tornou um dos meus mantras.  

Espero que, a partir de hoje, seja também o de vocês também.

Agora que cheguei em Merano, vou aproveitar para recarregar todas as minhas forças para amanhã viver um novo dia. Novas aventuras me esperam!

15 Comments

  1. Gianfranco

    Ciao Jesus. Ho seguito la tua audace avventura lungo il fiume e mi è venuto naturale ricordare quella canzone che abbiamo cantato, assieme al Presidente Francesco,durante l’avventura Tonezza-Montegalda: muti passarono in quella notte i fanti,tacere bisognava andare avanti……il Passiria(Piave)mormorava…..ecc.ecc.
    Dai che il peggio è passato, speriamo di riabbracciarti a Tonezza. Ciao,un strucon

  2. Francesca Pasini

    Che dirti carissima Jesusleny sei un ciclone una forza della natura spero di conoscerti un giorno di persona ammiro il tuo coraggio che io non ho neanche minimamente ma ne vorrei 1% ma credo che volere è potere e tutto si può continua ad emozionarci con la tua splendida avventura dai che Verona ti aspetta con uno splendido sole 🌞 un abbraccio forte forte e va sempre pian me raccomando 😘

  3. Franco Carlon

    Buongiorno, Jesusleny, ogni esperienza, nella vita, anche quelle negative o molto difficili, ci insegna qualcosa. Spero che le difficoltà di questi ultimi giorni ti abbiano fatto riflettere sul modo di affrontare queste esperienze, programmandole in modo più dettagliate, o, comunque, di seguire una traccia GPX, o avere con te un telefono satellitare, per la tua sicurezza. Buon viaggio, ti seguiamo, sempre con piacere

  4. Patrizia ferrari

    Ciao Jesus, ieri ti ho seguita con ansia. … Cmq sei fortissima il tuo Ego ha vinto e terminerai il tuo percorso alla grande, w io tiferò da brava Veneta x te😘😘😘

  5. Gabriele Zarantoniello

    A parte i posti che fai vedere del südtirol e che mi mancano da morire, concordo nel tuo pensare che il tuo cammino sia una rappresentazione della vita di tutti fatta di alti e bassi e dove spesso si trova una forza nascosta che non si pensa di avere ma che è nascosta in fondo alla nostra anima. Detto ciò, molaghe de camminare con le man e mettete la crema in faccia che non semo mia a luglio che uno se ustiona così 😀 in bocca al lupo e goditi i panorami!!

  6. Giovanni

    Ciao jesusleny finalmente sono riuscito a entrare nel tuo diario. Ti ho conosciuto per caso e mi hai subito coinvolto, sarà per il tuo coraggio, per la tua incrollabile Fede, per la tua caparbietà, non so fatto sta che, FB permettendo, ti ho subito seguita e con sincera ammirazione. Ormai sei alle battute finali e, tra l’altro, le più difficili per tutta la stanchezza accumulata ma sei in dirittura d’arrivo. Coraggio sei GRANDE. Un’ affettuoso abbraccio e ti sono vicina nella tua avventura. Alla prossima diretta ciao👍🏻👍🏻👍🏻😉

  7. Patrizia Pradella

    Cara amica non sai quanto mi faccia piacere averti conosciuto qualche anno fa durante il tuo cammino nel Veneto.
    Sei una donna in gamba.
    Vorrei essere con te nonostante i miei 69 anni.
    Io comunque continuo la mia battaglia contro il cancro e anche questa è una bella sfida

  8. Paolo

    Ciao Jesus, come sempre ci fai stare col cuore sospeso, restiamo in apprensione finché non riceviamo notizie del tuo arrivo, è inutile darti consigli, tanto vai avanti come vuoi tu e fai bene segui il tuo istinto, stai veramente vivendo la vita anche piena di sacrifici che ti fanno diventare sempre più forte. Lo sai che ti seguo sempre e non vedo l’ora di aver occasione di reincontrarti, lo spero molto, prima o poi questo avverrà, lasciamo fare al destino. Un abbraccione grandi grandi(come dici tu) anche da parte di Luise.
    Paolo

  9. Milena Zanin

    Cara Jesus, non ti conosco di persona ma da quando ho iniziato a seguirti, mi sembra di conoscerti da una vita! Mi emozioni, mi fai riflettere, mi fai stare in ansia e a volte vorrei essere lì accanto a te, nel tuo cammino per darti un po’ di coraggio e donarti una parola di conforto nei momenti di difficoltà.
    Sei un esempio e uno stimolo per tutti noi!
    Continua così, sei una forza della natura!!!

  10. Rieccomi…è da ieri che sto pensando alla paura, a cosa serve ad aver paura, alla forza di questo sentimento che è costantemente presente nella vita di ogni essere umano.

    La parola “paura” la diciamo più volte al giorno, facciamoci caso, anche per le cose più banali, come ad esempio: “go paura che el negozio el sia sarà”

    No, dico…ma è necessario inserire una parola così forte per una cosa così “leggera”? Che poi (forse non tutti lo sanno) le parole e i pensieri creano il nostro cammino su questa Terra, perché siamo ciò che pensiamo. Il pensiero comanda la mente e la mente comanda il corpo.

    Ed è la paura- e non l’odio- il contrario dell’amore.

    Mi piace molto (e ho fatta mio) quanto riportato da Paulo Freire, un brasiliano esperto di educazione:

    “Il contrario dell’amore non è, come spesso si pensa, l’odio , bensì la paura di amare e la paura di amare è paura di essere liberi”.

    Buon Cammino

  11. Emanuela Frison

    Ciao dolcezza credo che questo sia l aggettivo più adatto
    Ti ringrazio per avermi portato nei luoghi delle mie vacanze d infanzia
    Ti stimo e ammiro per avere la costanza di scrivere questo diario anche dopo ore di cammino.
    Buon cammino
    Emanuela

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *