Camminata solitaria da Monaco di Baviera a Verona 2021 Festeggiando 61 anni di gemellaggio
CAMINHADA MUNIQUE -VERONA, COMEMORANDO 61 ANOS DE GAMELLAGGIO

CAMINHADA MUNIQUE -VERONA, COMEMORANDO 61 ANOS DE GAMELLAGGIO

Nos últimos dias, postei um post nas minhas redes sociais em que estava de salto alto em uma das mãos e botas de caminhada na outra. Agora estou na contagem regressiva para realmente colocar as botas nos pés e a mochila nas costas, já posso sentir a emoção que me leva, meu coração bate forte neste momento.
Depois de tantas aventuras, tenho que confessar uma coisa para muitos de vocês que ainda não me conhecem pessoalmente…
A verdade é que não gosto de caminhar! Falo sério! Para mim, essa jornada é um sacrifício, uma forma de me desafiar. Quando penso em fazer algo, tenho que fazer imediatamente. Confesso que me arrependo, mas nunca volto atrás.
“Mas, Jesus, nós sempre olhamos para você sorrindo e feliz.” Pode ser que aqui para vocês caia um mito…


Antes de falar mais sobre isso, deixe-me escrever mais sobre o motivo da minha próxima caminhada …
O Gamellaggio entre Verona e Mônaco no ano de 2020 completou 60 anos e devido ao COVID não houve comemoração. Neste ano de 2021 a amizade completa 61 anos e quero trilhar o caminho que une as duas belas cidades como forma de demonstrar a força de uma amizade sincera. E não só isso …
Com esta caminhada pretendo mostrar a todos que me seguem, sempre com um sorriso no rosto, que assim como essas belíssimas cidades, nós podemos manter amizades fiéis e duradouras, que nos mostram o valor do amor e da esperança, que nos alivia na hora da tristeza e que nos mostram a luz quando estamos no fim do túnel.

Vivemos tempos difíceis, alguns quase perdem as esperanças, mas usarei este caminho como sinal de coragem e renascimento, como incentivo para quem está prestes a perder a fé. A caminhada será um lembrete para que todos continuem a acreditar que dias melhores virão.


Através do Facebook direct, das fotos e dos vídeos, também através deste diário de bordo quero mostrar a todos os amigos que me seguem que é possível receber um abraço caloroso, mesmo que seja virtual. Muitos de nós sofremos com restrições sociais e quero dizer que podemos passar por isso juntos, quero levar alegria, otimismo e fé.


Vou caminhar até o fim respeitando todas as normas alemãs e italianas, vou usar máscara e luvas, respeitando o distanciamento social e, a cada cinco dias, farei um teste rápido para evitar problemas para mim e para os outros. Sei que muitos de vocês estão confinados em casa e que não podem ir para lugar nenhum, tentarei mostrar-lhes as paisagens de tirar o fôlego, farei vocês viverem uma bela experiência e prometo que tentarei, com mais afinco que o normal,  compartilhar o conhecimento e belezas que existem na estrada Munique-Verona. O meu desejo é, ainda que no meu pequeno e modesto compromisso, dar um sonho às pessoas e, ao mesmo tempo, festejar os 61 anos de gamellaggio e união que existem entre estas duas cidades.
Renasceremos. Vamos nos levantar novamente após esta situação e tentaremos compartilhar motivos de gratidão, tenho certeza.

Quando te digo que não gosto de caminhar é a pura verdade, quero comparar a minha caminhada com esta época e o meu desejo é mostrar que às vezes as coisas que gostamos ou não, podem tornar-se nas coisas que mais nos transformam! Assim como minha caminhada, amigos.
Tenho certeza de que superaremos essa situação ao percorrermos uma caminhada que exige empenho, paciência e perseverança, um passo após o outro, mesmo que não nos sintamos tão confortáveis ​​quanto gostaríamos.

A situação será superada assim como a longa caminhada que irei percorrer, passo a passo, lentamente, sem perder o otimismo e a esperança, recolhendo todas as pequenas coisas que vou descobrindo ao longo do caminho e desfrutando delas. É um sacrifício para mim caminhar tantos quilômetros, pois tendo a ser preguiçosa, mas saber que essa mesma viagem de carro leva apenas quatro horas e a pé leva cerca de 14 dias, me faz refletir sobre a importância de aprender sobre resiliência e paciência.

Quando olho para esta foto em frente à Fontana delle Alpi, na Piazza Bra, que foi um presente da cidade de Munique à cidade de Verona em sinal de amizade, sinto que estou a viver a história ao vivo e a cores….  Aquele símbolo que marca um pedaço de Munique dentro de Verona me fez ver a beleza da cultura e da tradição aqui presentes, bem diante dos meus olhos, nunca antes me emocionou tanto.
Isso representa para mim uma verdadeira honra e responsabilidade, porque nesta viagem serei a Embaixadora de Verona e do Veneto em Munique, honrarei este marco tão importante, com o patrocínio da cidade de Verona e do Conselho Regional do Veneto.
A próxima vez que eu vir esta fonte novamente, será depois de eu ter viajado muitos e muitos quilômetros, ela representará minha meta, um símbolo de uma vitória que será compartilhada com todos vocês.
Pergunto-me se irei sentir o mesmo quando me encontrar daqui a algumas horas em frente à estátua de Julieta, na Marienplatz, em Munique, o presente que a cidade de Verona lhe deu.
Bem em frente a este pedaço de Verona na cidade alemã, minha longa jornada começará. É uma grande emoção saber que estes dois monumentos imortalizam a celebração de um Gamellaggio entre as duas cidades e os dois monumentos serão o meu ponto de partida e de chegada desta aventura.

Iniciarei minha viagem no dia 07 de abril, na Marienplatz, centro de Munique, em frente a Julieta e chegarei em Verona, em frente à Fontana delle Alpi, ao lado da Arena de Verona, e então estarei em casa novamente.
Só de pensar em fazer parte dessa longa história de amizade, sinto um arrepio indescritível na barriga.
O Presidente da Câmara de Verona deu-me um presente especial que deixarei ao Presidente da Câmara de Munique.
Ele me confiou o mapa mais antigo da cidade de Verona, da época medieval, chamado de Iconografia Rateriana. Este mapa histórico é muito especial para a identidade cultural da cidade.
Sua construção foi anterior à Idade Média e mostra a cidade da época. O mapa é mantido na biblioteca mais antiga do mundo, a Capitolare de Verona. Existem 150 exemplares no mundo e o número 89 será doado à cidade de Munique, como um presente de prestígio para renovar a amizade que une duas cidades maravilhosas há mais de sessenta anos. É um trabalho feito em água-forte, uma técnica milenar de gravura.
Este presente irá simbolizar uma grande homenagem ao Gamellaggio entre Verona e Munique e será entregue com grande honra.
Devo confessar que já estou com o coração na boca, mas fico muito feliz em realizar essa aventura para compartilhar com vocês!

Nos encontraremos novamente em breve.

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.