Camminata solitaria da Monaco di Baviera a Verona 2021 Festeggiando 61 anni di gemellaggio
Dia 09 – Máscaras caindo, vento gelado e o início do Trento

Dia 09 – Máscaras caindo, vento gelado e o início do Trento

Dia 09 – Máscaras caindo, vento gelado e o início do Trento

Mais um dia de aventura! Como me sinto bem em começar o dia e compartilhar o que estou vivendo durante essa caminhada com vocês. Acordei mais cedo hoje, pois queria fazer uma live no facebook para mostrar a beleza única do Lago di Caldaro. Ele é o maior lago natural da província autônoma de Bolzano e em sua extensão possui um biotopo com uma rica reserva natural, onde estão protegidos animais de várias espécies. Um local maravilhoso para começar o dia!

Essa região possui muita ventilação e favorece a prática de esportes eólicos, mas o que estou sentindo ao andar por aqui é um frio que está rasgando a minha garganta, sinto o vento gelado entrando em meus ossos. Meu humor já não é o mesmo de quando estava em live no Facebook.

Ao ver as nuvens escuras e o tempo fechando, temos um costume de dizer que o tempo está “feio”, que o dia não está bonito, automaticamente pensamos que aquele não será um bom dia. O meu desafio de hoje com as pessoas que me seguem é inspirar a agir diferente, para ver o lado positivo e ver a beleza por outros ângulos. Começo dizendo que o dia não está feio, está simplesmente fechado. Mesmo com o frio que está fazendo, passei a olhar para as montanhas de longe e, mais tarde, parei em frente a uma plantação de maçãs para ver as flores que coloriam a minha viagem.

Precisamos enxergar a beleza da natureza de todas as formas. Foi incrível contribuir para a TV TELENOVO enquanto eu passeava pelas plantações de maçãs. Senti muito orgulho da minha jornada ao falar para um canal de televisão, pois o meu objetivo é inspirar cada vez mais pessoas, além de lembrar a todos sobre a festividade do gamellaggio entre Verona e Munique. Ao fazer o vídeo para a TV, encontrei um produtor e ele me explicou o quanto é trabalhoso cuidar dessa plantação. Uma região fria, perto da montanha requer muito trabalho árduo. Nas plantações, conheci Joahanes que aos 24 anos de idade trabalha com as próprias mãos e segue os passos do pai. Para mim, encontrei um exemplo de vida, uma boa perspectiva para o futuro e para as novas gerações. Não posso acreditar que tudo está perdido, porque não está! Há sinais de esperança por todos os lados.

Espero que os jovens dessa nova geração sejam sempre mais assim como ele, hoje descobrir como cuidar e proteger a plantação de maçãs e uvas. É necessário dedicação e muito trabalho.

Joahanes

Novamente encontrei meu amigo Rio Adige, meu companheiro de jornada e enquanto ando penso que a pandemia nos trancou em casa, mas, em contrapartida, a natureza está livre novamente, longe da exploração humana durante esse tempo. Ela está reconstruindo o que o ser humano destruiu nos últimos tempos.  Esse tempo de pausa foi o momento que a natureza encontrou para se recuperar de tantos danos. Eu não sou uma ambientalista engajada cem por cento do tempo com as causas ambientais, mas sou uma pessoa normal que está aprendendo durante o meu caminhar. Tudo o que estou aprendendo aqui, tento passar para vocês, procuro dividir com as pessoas o que estou aprendendo com a natureza. Enriqueço as pessoas com o que me está enriquecendo! 

Agora a natureza pegou o nosso tempo para se reconstruir, como será depois que voltarmos ao normal? Será que vamos aprender o valor que a natureza tem? Precisamos pensar nisso e agir.

O vento está forte e parece que essa noite vai nevar, o frio está tão intenso que começo a sentir dor de cabeça e dor de garganta. Quero voltar para casa… a intensidade do que vivi em 7 dias é muito profunda, há uma mistura de sentimentos e emoções que, em alguns momentos, eu não posso acreditar no que desejo, preciso deixar que a racionalidade tome o controle, não minhas emoções.

Estou sendo muito verdadeira em meus registros, tanto aqui como nas lives do facebook. Ora quero chorar e voltar para casa, no mesmo instante quero sorrir, apreciar a natureza e ver o que tem pela frente. Esse é o exercício que tenho que fazer, não julgar as emoções, mas senti-las e extravasar, logo logo a tristeza passa.

Assim como minhas emoções, o tempo também muda muito rápido, o sol saiu e o vento deu uma trégua. Essa região, abraçada por muitas montanhas, é conhecida por ter muito vento e frio. Estou vivendo esse caminho com as minhas emoções elevadas ao máximo, transmitindo para todos a minha sinceridade. Tenho consciência que muitos amigos estão vivendo essa aventura junto comigo, sinto o apoio de todos aqui. Quero mostrar para quem me acompanha que não temos que ter medo da nossa autenticidade e de mostrar quem nós somos, principalmente nesse momento de sofrimento generalizado que estamos vivendo.

Precisamos alimentar a consciência de que é preciso mudar e nos adaptar, quanto mais rápido fizermos isso, menos sofreremos.  A minha vontade nesse caminho é inspirar as pessoas, sem a pretensão de ensinar, pois também estou aprendendo, mas dividir e aprender junto com todos que me acompanham.

Quando sento em algum lugar para descansar, confesso que não tenho muitas forças para levantar e continuar, e não é cansaço do corpo mas a minha cabeça quer desistir, nesses momentos reúno minhas forças e penso: “Levanta! O caminho ainda não acabou!” e assim retomo para o meu destino. Caminhar quer dizer não parar e perseverar! Se adaptar também é necessário e confesso que gerenciar as próprias emoções é um grande desafio. Ao mesmo tempo que não via a hora a de ver o Rio Adige, após 3 horas de intensa caminhada, eu já me sinto cansada de ver o seu movimento.

Sei que o grandioso rio jamais será cansativo por si só, afinal, ele transporta vida e nunca seria um fardo. No entanto, minha cabeça soma frio + cansaço +  fragilidade humana e começa a criar desafetos, sobrou para o Gigante Ádige!

É por isso que precisamos treinar a nossa cabeça para os momentos de angústia e extrema fadiga. Isso não significa que nunca vamos ter vontade de desistir e de jogar tudo para o alto, pelo contrário, significa que vamos nos especializar em cair e levantar, investindo nesse exercício de superação e força interior.

O vento frio persiste, mas eu também não desisto.

Sofro, mas continuo na caminhada. Sei que ele é forte, mas não está nos meus planos ser derrubada por ele.

Eu decidi ser 100 % autêntica em meu caminho, pois esse momento de evolução e revolução, que o mundo está vivendo, pede para que nós mudemos a nossa postura diante dos acontecimentos.

Nós precisamos mudar, tudo depende da nossa postura diante da vida! Quantas vezes eu fico zangada, paro tudo o que estou fazendo e começo a chorar de revolta… logo após de abaixar minha cabeça, olho para cima e me levanto, pois sei que minha revolta não ajudará em nada nos momentos críticos. No entanto, uma postura decidida e inteligente muda todo o jogo, essa postura muda qualquer circunstância! Afinal, nós damos o tom para tudo o que nos acontece, podemos maximizar os sofrimentos e colocar a culpa no Rio ou podemos sentar, apreciar a vista, aprender com as águas que correm e deixar elas nos guiar.

Ao mesmo tempo que penso nessas coisas e as registro para compartilhar com vocês, percebo que acabei de superar a região do Tirol do Sul e comecei a desbravar a região de Trento. O Alto Adige ficou para trás… estou chegando mais perto do meu objetivo. Agora preciso vencer a Província Autônoma de Trento e seguir rumo ao meu amado Veneto.

Ainda estou na ciclabe a caminho de Lavis e acabei de encontrar duas pessoas, uma delas se chama Lucia, que me deu um sorriso, apesar de estar protegida com a máscara. Eu não preciso dizer que fiz mais uma amiga no caminho, porque tenho certeza que vocês já imaginam que isso aconteceria… hahaha Contei minha história a ela e comecei dizendo sobre o  momento de mau humor que estava naquele momento. Para minha surpresa, Lucia me ouviu generosamente e me disse que ela é uma jornalista local e que gostaria de escrever sobre minha história e divulgar minha grande jornada. Quem sabe o que me reserva esses últimos 5 quilômetros? De uma coisa eu tenho certeza: de bom humor ou não, estou aberta para o que vier!  

Hoje cheguei novamente com a luz da Lua, mas não senti o medo que estava ontem, posso dizer que superei mais um obstáculo.

A voz da jornada:

assim mesmo amigos! Você que me segue há dias, deve ter entendido que o caminho que faço todos os dias me fala, me diz algo, me dá um ensinamento, me orienta.

Hoje a voz da viagem revelou-me uma reflexão. Durante dias, como você percebeu, a jornada me fez amadurecer a escolha de compartilhar com você até nos momentos de desânimo. Decidi que não queria mais parecer, decidi que queria SER.

Dante disse: “PARA SER MAIS DO QUE PARECE”. .. Quantas sociedades, ao longo dos séculos, nos mostraram exatamente o oposto. Olhemos ao nosso redor, como somos falsos… o quanto nos sentimos obrigados a ser aceitos pela sociedade pensando no que a sociedade quer ver em nós. Passamos a nos despersonalizar completamente, para nos sentirmos aceitos pelos outros, e, assim, nos transformamos, mudamos nossa essência, somos educados desde cedo para isso.

Infelizmente nossa natureza sociável, nossa necessidade de nos sentirmos parte de um todo nos molda, nos transforma. Suprimimos ou moldamos nossa essência para nos sentirmos aprovados pela sociedade, e, no final, não sabemos quem somos, não sabemos mais o que nos dá alegria e o que nos faz sofrer.

Que ensinamento a natureza está nos dando com esta Pandemia! O sofrimento, a obrigação de nos isolarmos, a obrigação de refletir, no sentido mais puro da palavra, ou de nos olharmos como um espelho que reflete a nossa essência, a nossa alma. É exatamente isso que está acontecendo. Finalmente temos a oportunidade de olhar para dentro de nós mesmos, de realmente entender quem somos. É uma oportunidade de nos descobrirmos, de conhecermos e darmos a conhecer as nossas emoções, os nossos sentimentos, alegrias e sofrimentos, sem véus, sem ter que pensar em não sair dos clichés, dos estereótipos que a sociedade nos inculca !!!

Resolvi tirar essa máscara de Pirandello e SER MAIS DO QUE O ÓBVIO!

E se você também está me apreciando como eu sou, com minhas alegrias, meus sofrimentos, meus sonhos, então todos podemos receber a mensagem da natureza. Confie em mim! você vai descobrir que você é uma pessoa melhor do que você se mostra..

Meditem nisso, amigos!

11 Comments

  1. Paolo

    E’ molto bello leggere il tuo diario, ci fai rivivere i momenti belli e brutti della giornata, ci fai stare in apprensione fino all’arrivo e anche stasera col buio, cosa che io avevo già preventivato perchè oggi ti sei fatta circa 45 km, non so come riesci a farne così tanti per più giorni. Sei una forza della natura. Dai ora hai solo tre tappe da 33 km circa e sei vicino a casa. Scusa se ti riprendo, anche se ti considero una persona vera, non serve dire parolacce, no te me piasi, varda che te vojo ben come na fia. Buon riposo

  2. Manuela Boaron

    Ciao jesusleny che bellissimo diario che stai scrivendo è proprio bello racconta tutto di come passi le giornate e chi incontri e di cosa ti fa vedere madre natura

  3. Renata

    Cambiare dentro di noi e guardare la vita con occhi diversi è un lavoro difficile ma con impegno si può fare, cambiare ciò che ci circonda lo è meno, troppi cliché.

  4. Marino Carlesso

    Ciao Jesusleny,
    intanto ti faccio i complimenti per quello che fai e soprattutto per come lo fai.
    Complimenti per come sai regalare le tue esperienze e la tua vita a chi ti segue.
    Un po’ ti invidio per la possibilità che
    hai di fare questi stupendi cammini.
    Idealmente, camminiamo con te.
    Ciao e buona giornata.
    Marino

  5. Marina Aste

    Grazie. Leggere il tuo diario dimostra che persona splendida sei. Tutti abbiamo bisogno di esempi positivi, mentre ci vengono spesso presentati esempi negativi o frasi bellissime scritte da grandi scrittori, ma non viene mai data la massa di cosa significa e di quanta storia, sofferenza e impegno ci sia per essere riusciti a condensare in poche parole tanto. Ecco tu sei l’esempio di quanto dietro a frasi tipo: “la magia è credere, e credere in se stessi… se riusciamo a farlo allora possiamo far accadere qualsiasi cosa (Goethe) non ci sia solo poesia e beltà ma anche sofferenza e sconforto. Presentando quei live hai dimostrato che anche tu hai momenti di sconforto, a cui reagisci però prontamente, e possono diventare reali esempi da applicare tutti i giorni.

  6. Laura Zenzolo

    È fantastico vedere come riesci a introdurre poeti famosi nel tuo cammino… Verrebbe da chiederci che c’entrano? Eppure latua capicita’di ascoltare la natura, la tua conoscenza, il tuo essere positiva ed entusiasta della vita ci sta contaggiando tutti…. È un piacere seguirti nei tuoi cammini, non solo per i splendidi panorami che ci fai conoscere, ma anche per le perle di saggezza che attraverso le tue riflessioni ci suggerisci! Ti stimo, splendida donna!

  7. lucia

    Sei un mito! …capitata sulla mia strada nel momento giusto. Hai involontariamente dato risposte a domande che non mi ero neppure posta. So che è stato un inizio ieri e so che continuerò a seguire il cammino dei tuoi passi e la voce dei tuoi pensieri così profondi!
    Namaste’…

    1. Michela

      Ciao Jesus sei forte , ho cominciato a seguirti da lunedì , ma è bellissimo , in questo periodo particolare di restrizioni , ti sei imbattuta in questo cammino , ed è vero come dici te ,dobbiamo andare avanti con tutto ciò che abbiamo , te ci invogli ancora di più , un abbraccio , alla prossima😘

  8. Marco

    Complimenti, non ti conoscevo, ma adesso ti apprezzo, e ti rinnovo i complimenti, perché sei una bellissima persona, hai un coraggio da Leone , hai affrontato questo viaggio con molto umiltà, penso che tu ti meriti tantissime belle cose dalla vita , sei una donna molto forte, con le sue fragilità, che non hai avuto paura a mostrarle a tutti, buona notte 🌙💤

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *